segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

13. A primeira vez – Não Existem Poesias



Foi um beijo, um beijo longo e quente, um beijo cheio de toques e apertos, um beijo que reacendeu o fogo neles, o mesmo fogo que tinha sido apagado na noite anterior, porém desta vez, Joe faria questão de ficar acordado.
Joe já estava quase nu, mas Demi ainda tinha muitas peças de roupas a serem tiradas, e a cada beijo, a cada toque, mais vontade ela tinha de tira-las de uma vez.
Ainda é muito cedo – pensa Demi.
Será a primeira vez dele, não devo apressá-lo. – dizia a si mesmo, enquanto apertava-o mais e mais contra seu corpo.
Serão apenas alguns beijos e amassos, nada demais. – tentava se convencer, mas parar, agora, seria quase impossível. Se Joe não a impedisse, ela não pararia. Porem Joe não estava dando sinais de que iria impedi-la, isto porque Joe não tinha intenção de parar. Ele já tinha dormido na noite anterior, ele não iria recuar hoje.

Num minuto de coragem Joe começou a levantar a blusa de alcinha de Demi, e ela, no começo, não fez nenhuma interjeição, estava tão concentrada nas caricias que estavam trocando, que nem mesmo percebeu as intensões de Joe, porém, assim que ele chegou a um ponto em que só com Demi levantando os braços para que a blusa fosse eliminada, ela se despertou.
_ Você... – começou ofegante. _ Você tem certeza? – perguntou.
_ Sim. – respondeu sem pestanejar.
Medo? Joe tinha de sobra, ele sabe que existe certa cobrança na atuação do homem, mas ele esperava que Demi lhe desse um desconto.
_ Você não precisa. – insistiu.
_ Você não quer? – perguntou Joe, sem disfarçar o desapontamento.
_ Quero. – falou sem nem mesmo pensar. _ Mas...
_ Chega de “mas” – interrompe-a e parte para outro beijo.
Ah, que se dane. – pensou Demi.
Vai ser agora.

O momento de apreensão de ambos passou. Joe agora tirara a blusa de Demi e ela mesma providenciou a retirada de seu sutiã, e Joe, sem nenhum acesso de timidez, se fartava, entre beijos e toques por todo o tronco de Demi.
As preliminares foram intensas e longas, mas quando caricias e beijos já não mais bastavam para eles, ambos tiraram as últimas peças de roupas com certa fúria e urgência, e foi apenas neste momento, em que já não tinha nenhum pedaço de pano separando-os, que Joe teve uma pequena hesitação, mas Demi, confortando-o, acariciou-o e colocou-o por baixo, ficando no comando de tudo.
Demi começou com movimentos leves e vagarosos. Não queria assusta-lo, e também gostaria de ver até onde ele poderia ir. Joe aos poucos tornava a se relaxar, permitindo-se sentir cada movimento de Demi sobre si.
Aos poucos Demi acelerou seus movimentos, acompanhada por Joe, que já estava ganhando rigidez. Ambos já soltavam alguns gemidos, ainda abafados.
 Agora Joe já estava com seu membro totalmente rígido e ambos estavam com o ritmo bem acelerado, gemidos altos eram emitidos, beijos fortes eram trocados, arranhões eram produzidos um na pele do outro.
Assim que percebeu que o auge de ambos estava chegando, Demi diminuiu os movimentos, querendo retardar o orgasmo dela e de Joe, o qual reclamou com um gemido longo, mas Demi queria que aquele momento durasse mais, talvez fosse pedir demais de Joe, pois era sua primeira vez, mas estava tão bom...
A velocidade poderia estar menor, mas os dois ainda gemiam, naquele ponto Demi e Joe estavam tão conectados e em tanto êxtase que até mesmo o toque de um na pele do outro já trazia ondas de prazer, era obvio que não se podia evitar o auge, e ele veio, primeiro Joe e em questões de segundos Demi também gozou.
Cansados, Demi saiu de cima de Joe e deitou-se ao seu lado, ofegante e ainda sentindo todo o seu corpo formigando. Joe, no mesmo estado, porém em completo êxtase, sorria enquanto controla sua respiração. Demi, vendo a felicidade dele cai na gargalhada, e Joe, a acompanha.
Nenhum dos dois sabiam do que realmente gargalhavam, se era um do outro, ou se era pelo momento em que acabaram de compartilhar.
Para Joe, sua primeira vez não poderia ter sido melhor, para Demi não era a primeira vez, mas sem dúvidas foi a melhor.


Continua


Capítulo hoje vai ser curtinho, mas espero que ainda assim tenham gostado.
Bom, final de ano está chegando, o natal já está quase aí, e meu presente veio adiantado, foi nomeada em algumas categorias de As melhores de 2015, que é uma premiação criada numa parceria entre os blogs Críticas de Fanfics e Reviver Stories, ano passado também tive o prazer de ser nomeada e graças a vocês consegui o 2º lugar em "Melhor história/Fanfic escrita" em 2014, então, novamente quero pedir seus votos, que serão muito importante para mim. As categorias são as seguintes:

Melhor Estória/Fanfic de 2015:
- A Vingança de Sílvia (A Vingança)
- Almost Loved de Amanda (Almost Loved)
- Memórias Aterradoras de Diana (História de uma Adolescente - Parte II)
- O Corvo de Ilka (PiAlCo)
- Effect Wolf de Maicla Moura (Effect Wolf)
- Don't Say Goodbye de Estela (Don't Say Goodbye)
- Bro Code de Erii (Sons da Alma)
- Secrets - Os Encantos do Escorpião de Jessiane Monteiro (Secrets - Os Encantos do Escorpião)
- Não Existem Poesias de Nanda Carol


Melhor Estória/Fanfic Escrita:
- Memórias Aterradoras de Diana
- O Corvo de Ilka
- Bro Code de Erii
- Não Existem Poesias de Nanda Carol


Estória/Fanfic/Mini Fic de 2014 Nunca Esquecida:
- Blind Date de Erii
- The Big Apple de Nanda Carol
- Uma Vida Eterna de Diana
- Laços de Sangue de Amanda
- The Way I Love You de Letícia Alvares (The Way I Love You)
- Inspiration II de Tatii (Inspiration)

Um comentário:

  1. Aaah*--* ele ja pode pedir ela em casamento q eu n ligo *-* posta logo

    ResponderExcluir