sábado, 7 de novembro de 2015

9. Coragem alcoólica – Não Existem Poesias


Agora havia uma pulga atrás da orelha de Demi, será que ela realmente estava usando Joe? Seria ela tão egoísta? Ela não queria usa-lo, Joe é uma boa pessoa, não merecia ser usado por ela. Talvez o melhor fosse realmente se afastar dele, assim ela poderia distinguir melhor se ele é apenas um substituto ou não.
Isso partia o coração de Demi, ela não queria se afastar mais dele, mas sim se aproximar.
Não seria fácil para ela, mas era necessário, ela precisava fazer o teste.

 Porém, se agora Demi queria se afastar, Joe já quer se reaproximar, após uma longa noite de insônia, ele percebeu o quão ridículo havia sido, e daí se ela gostava de outro? Ela não tinha como saber que Joe gostava dela, ele não poderia ficar decepcionado assim com Demi.
O único problema agora era que ele não sabia como se redimir, não parecia justo aparecer na porta dela, sorrindo, como se nada tivesse acontecido. Bom, seja lá o que ele fosse fazer, teria que ficar para depois, agora o dever o chamava, hora de ir trabalhar.

O maior movimento na cafeteria ainda não tinha começado, os clientes do shopping chegavam timidamente e poucos se interessavam em ir até a praça de alimentação. Camila e os outros funcionários se amontoavam atrás da bancada, conversando ou, aproveitando a ausência do gerente, para mexer no celular. Os poucos clientes que estavam ali, já haviam sido atendidos.
_ olá. - Camilla se assusta com a voz de um homem, mas assim que olhou para o dono da voz, relaxou.
_ Olá. - disse simpática. _ Em que posso lhe ajudar? - sorri. 
Sam ri ao reconhecê-la
_ Um Cappuccino, no copo, de preferencia. – diz e Camilla cora instantaneamente, não é fácil deixar Camilla tímida, Demi já havia tentado várias vezes, e foram poucas as vezes que saiu vitoriosa, porém havia algo em Sam, Camilla realmente queria conhecê-lo, ela podia brincar com muitas coisas, mas desta vez ela não estava brincando.
_ Farei o possível para deixar tudo no copo. – brincou. _ Já voltou com o seu pedido. – disse e saiu, controlando-se para não saltitar de alegria, aquilo poderia não ser nada, ela tinha consciência de que ele não estava lá por ela, talvez ele estivesse ali para algum encontro com Demi; Camilla teria que agradecê-la depois por isso. Porém ele tinha se lembrado dela, mesmo que por uma razão quase que trágica, ele havia se lembrado, e isso era tudo que importava para ela.
Camilla não demorou a voltar com o pedido do ilustrador, e desta vez, tomou todo o cuidado para que nada caísse, esta era a chance dela concertar a primeira impressão que ele teve sobre ela.
_ Aqui está. – disse sorridente ao colocar o copo na mesa, sem nenhum incidente.
_ Muito obrigado. - falou educadamente.
_ Você veio conversar com a Demi novamente? – arriscou-se a se intrometer. Sam a olhou com um olhar desconfiado. _ Ela é minha amiga. – esclareceu. Sam riu, Camilla não entendeu o porquê, ela iria perguntar, mas Sam falou primeiro.
_ Não, desta vez vim sem compromissos. – Camilla continuou com sua expressão tranquila e simpática, obrigatória para qualquer atendente da cafeteria, mas por dentro ela estava explodindo, aquela era uma boa noticia isso significa que ela não tinha estragado tudo, ela poderia não ter dado uma boa primeira impressão, mas tampouco foi tão ruim.
_ Fico feliz que você tenha voltado mesmo após minha... Trapalhada.
_ É necessário mais que uma blusa manchada para me perder como cliente.
_ Manchou muito?
_ Bom, um pouco. – riu.
_ Eu posso tentar limpar para você.
_ Por acaso você faz mágica?
_ Se for para te compensar, posso aprender. – falou, deixando um pouco do tom sugestivo, aparecer.
_ Direta. Gosto disso. – falou. Camilla sorriu.
_ Então você vai gostar muito de mim. – diz.
_ Não tenho duvidas disso. – concorda Sam.
Simples e fácil, nem mesmo parecia real, ela havia não só se redimido, mas avançado um passo a mais para conhecê-lo e, quem sabe, conquista-lo.

_ Grande Joseph. – gritou Natan assim que Joe entrou na sala dos professores. Joseph agora se acostumara com os exageros do colega de trabalho, isso não significa que ele gostasse; Natan até que era divertido, mas um pouco de discrição não o faria mal.
_ Olá Natan. – cumprimentou Joe.
_ Tenho uma proposta imperdível para você. – abraçou-o de lado, forçando-o a andar com ele. _ Hoje, após as aulas, você, eu e os outros professores, todos naquele Pub que tem na esquina, para comemorar meu aniversario.
_ Hoje? – perguntou assustado.
_ É, eu sei, meio encima da hora, mas ninguém tem muito o que fazer quinta-feira a noite, porque não comemorar meu aniversário?
_ Eu... Eu não sei se isso é uma boa ideia. – Joe recuou, livrando-se do abraço do colega.
_ Ah, qual é Joseph? Você por acaso tem algo para fazer?
_ Algumas provas para fazer. – mentiu.
_ Isso é coisa rápida de se fazer, fora que as provas só começam semana que vem.
_ Eu gosto de deixar tudo adiantado.
_ Ah vamos lá cara, nunca te vi curtindo com a galera. – nisso Natan estava correto, Joe nunca fora chamado para nenhum evento, por mais bobo que fosse, pelos outros professores, e no fundo Joe não fazia muita questão. _ Você vai divertir, te prometo, e se por acaso você não gostar, pode sair quando bem entender. – Joe não sabia dizer se foi vencido pelo cansaço ou pela curiosidade, Natan estava insistindo muito e Joe não é exatamente o tipo de pessoa decidida, ele se deixa levar pelos outros com muita facilidade, mas, desde que teve seu visual repaginado, estava tentando agir como uma pessoa normal, ele não vem tento muito sucesso, mas estava tentando, e as pessoas normalmente vão comemorar aniversário dos amigos, então, porque não tentar? Ele tinha aval para sair quando bem entendesse, não poderia ser pior do que ele imaginava.

Se para alguns, como Demi, o dia passara vagarosamente, para Joe, as horas voaram, quando ele deu por si, o sinal do ultimo horário batera.
Joe até considerou escapar, saindo o mais rápido que pode de sua sala e despistando os outros colegas, o que ele não esperava é que todos estariam na porta da escola, juntando-se, esperando todos os funcionários convidados chegar, para irem juntos ao Pub.
Não tinha escapatória.

No começo até que tudo estava bem, Joe até se permitiu rir de algumas piadas, até mesmo as mais sem graças, trocou assunto com os colegas, percebeu que assim como ele, muitos professores já tinham uma “lista” dos alunos que teriam o prazer de reprovar, caso fosse lhes dado à oportunidade.
_ No fundo quero que ela passe. – disse Mary, a professora de Artes do sexto ano. _ Assim não corro o risco de vê-la na minha turma, mas merecer ela não merece.
_ Pois saiba que na minha matéria ela já está de recuperação final, nem mesmo um total nesta prova final a salvaria. – disse Alex, professor de geografia, do mesmo ano.
_ Pois eu proponho um brinde aos alunos que vamos ferrar neste ano. – falou Natan entusiasmado, levantando seu copo transbordando de cerveja, assim que todos levantaram seu copo Joe percebeu que era o único tomando refrigerante, todos ali tomavam cerveja ou algum brinque a base de álcool. Joe não deveria se sentir mal por isso, não ingerir bebida alcoólica era algo bom, saudável, mas ele não poderia deixar de se sentir envergonhado. Mateo, que estava sentado ao lado direito de Joe, parece ter percebido seu desconforto, e pegou um copo vazio na mesa e dividiu sua cerveja com ele, a principio Joe usou aquele copo apenas para participar do brinde.
_ Não cuspi, pode beber. – disse Mateo, ao ver que Joe não tomara nenhum gole da cerveja.
_ Não sou muito de bebida. – confessou.
_ Para aguentar essa festa até o fim, uma bebida não faria nada mal. – falou, virando um copo de tequila.
_ Não está tão ruim assim. – disse Joe, e realmente não estava, todos estavam conversando e rindo, nada demais.
_Isso até toda essa bebida fazer efeito. Nenhum sóbrio tem paciência para aguentar um monte de mulheres frustradas bêbadas e um bando de homem velho se achando os maiorais só porque beberam.
_ É sempre assim? – perguntou Joe, preocupado com o que viria.
_ Sempre. – confirmou Mateo. _ Se junte a turma Joe, fique idiota também.


Joe não sabia muito bem como havia parado ali, ele nem mesmo tinha dormido e já estava de ressaca, ele não é forte para bebida, mas isso não pareceu impedi-lo de entornar tudo o que viu pela frente, parecia que cada copo o levava a outro, seria ele um futuro alcoólatra? Bom, isso séria problema para depois.
Joseph sai do elevador, guiando-se pelas paredes para chegar a algum lugar, sua visão estava extremamente embasada, mas agora ele tinha algo que estava bem apurado, sua coragem, coisa que ele nem mesmo sabia que tinha.
Aos custos Joe chegou a sua porta, ele, claramente, não seria capaz de abrir a porta, pelo menos não sozinho, ele nem mesmo conseguia encontrar a chave no bolso de sua calça. Joe ria consigo mesmo, a que ponto ele se permitiu chegar?
Aceitando seu destino de dormir do lado de fora da casa, Joe voltou-se para o lado, lá estava à porta de Demetria. Ah Demetria, como eu gosto de você – pensou ele. – porque você não pode gostar de mim também? – perguntava-se.

Agora ele já estava diante da porta dela, ele ainda não tinha batido, mas sabia que faria isso em breve, encostado na porta, Joseph não estava realmente pensando, mas queria pensar, Joe poderia fazer uma grande besteira ali, mas tampouco parecia se importar.
Tentando se equilibrar, Joe desencostou da porta e bateu duas vezes.
Agora não tinha mais jeito.
Era só esperar Demi abrir.

Continua
Oi gente, desculpe por não ter postado na data certa, mas sai mais tarde que o previsto do trabalho e acabei me enrolando toda aqui, mas, como prometido, postei. Espero que gostem.
p.s.: Próximo capítulo finalmente acontecerá algo que muitos aqui esperam e quem sabe até um pouco mais?

Estela: Não lhe julgo, também tive que ler tudo para saber onde parei e relembrar qual era o rumo da história. Bom, obrigada por comentar. bjssss
Anônimo:  Muito obrigada pelo carinho, voltei e agora pra valer, espero que você tenha gostado do capítulo, obrigada por comentar. Bjsss

Caah: Awn, muito obrigada mesmo, fico muito feliz em saber que ainda posso agradar a vocês, bom, não precisa ficar com saudades, porque eles voltarem e com muitas surpresas a caminho. Obrigada por comentar. bjssss

2 comentários:

  1. Kkkk coitado a ressaca no dia seguinte kkkkk posta logo bjs bjs

    ResponderExcluir
  2. Menina estou tão mais tao feliz que você voltou. Amando essa historia. E que historia é essa de querer ficar longe um do outro?
    Quero mais por favor. Quando teremos capitulo novo?
    😍

    ResponderExcluir