domingo, 2 de fevereiro de 2014

10º Capítulo “Wrecking Ball” – Entre o Céu e o Inferno






Música Wrecking Ball da Miley Cyrus, sugestão de um leitor anônimo.

Eu estava petrificado, e Demetria continuava com o olhar raivoso, parecia que, para ela, ainda não havia passado nem um minuto da nossa discussão.
_ Você pretende só ficar me olhando com essa cara de idiota? – perguntou.
_ ‘Usinho’ mamãe, ‘usinho’ – falou a pequena em seus braços, apontando para um urso gigante que estava em um carrinho de carregar malas. Demetria olhou para a filha, que ainda sorria apontando para o urso que a cada vez estava mais longe da pequena, o seu olhar era de amor e calma, como se por um estalo ela tivesse entrado em outra dimensão, um na qual ela é feliz e que não havia ninguém para machuca-la. Ao olhar para elas eu pensei, e se eu tivesse conhecido Demetria primeiro? E se eu nunca tivesse me comprometido com Rachel? Será que poderia ser um pai para aquela garotinha, será que também receberia o mesmo olhar de amor que ela recebe de Demetria? _ Eu quero mãe, eu quero ‘usinho’.
_ Não fale assim, a Lali vai ficar enciumada. – disse Demetria, paciente e delicada, a pequena instantaneamente apertou a boneca no braço, como se dissesse: Eu amo essa boneca, não me separarei dela. Demi riu da reação da filha, mas seu sorriso logo se desmanchou, ela olhou para o chão, como se tivesse acabado de lembrar quem estava a sua frente e assim que ela olhou para mim, seu olhar era mais calmo, mas não havia amor, não havia nada, havia apenas um grande vazio.
_ Demetria, olha... – eu tentei começar a explicar, talvez ela voltasse a Las Vegas, ela não precisava ver Rachel. Ela não podia ver a Rachel.
_ Me poupe Joseph. – interrompeu-me dura. _ Apenas vamos, eu ainda tenho que começar a me arrumar. – concluiu.
_ Eu só...
_ Ah que seja, eu pego um taxi. – suspirou, revirando os olhos e dando menção de sair sozinha.
_ Não. – apresei-me para tocar em seu ombro direito, vi-a hesitando ao meu toque, como se tivesse nojo ou medo, ou talvez até a mistura dos dois, o fato era: ela não queria que eu a tocasse. _ Eu vim para te buscar. Prometo não te irritar mais. – falei. Demetria apenas olhou para mim, sem nenhuma reação, nem um sorriso, nada, eu não conseguia decifrar seu olhar, de repente, ela tinha vida um grande mistério, provavelmente ela reconstruiu o muro em volta de si, àquele que em tão pouco tempo eu tinha conseguido destruir, mas agora era diferente, esse novo muro é bem mais alto e bem mais forte, especialmente feito para resistir a mim. Sua frieza era apenas um aviso: Eu não cairei em seu jogo novamente.
_ Me ajude a pegar minha mala? – perguntou.
_ Claro. – respondi aliviado. Talvez eu conseguisse falar com ela depois, talvez ela não estivesse aqui para destruir meu casamento, talvez ela só quisesse ver o casamento da prima, mesmo que ela odiasse o noivo com todas as suas forças, e pior, com toda a razão de odiar. Demetria já passou por muito e não é a primeira vez que alguém a havia machucado, ela parecia passar por cima desses acontecimentos com maestria.


O silêncio dentro do carro era desconfortável, até mesmo a filha de Demetria estava quieta, o que é bem estranho para uma criança, quando olhei pelo retrovisor, eu percebi que era porque ela dormia como um anjo no banquinho de segurança posto no banco de trás. Mais calmo eu podia perceber o quanto ela parecia com a mãe, o olhar, a boca... Apenas o cabelo diferia, enquanto Demetria tem cabelos longos e castanhos, a pequena tinha cabelos cacheados, que batiam um pouco a cima do ombro, e loiros. Como eu disse, um verdadeiro anjinho.
_ Qual é o nome dela? – perguntei.
_ Gabriela. – disse e olhou para trás para a filha.
_ Lindo nome. – comentei. Demetria não disse nada, apenas um curto sorriso e voltou a olhar para frente, admirando a paisagem. Agora estávamos quase saindo da capital, os prédios altos e pomposos já haviam sido deixados para trás, agora a predominância era de casas pequenas, com quintais grandes, lugares vagos com uma quando natureza em volta. _ Demi. – chamei-a cuidadosamente, ciente que ela queria evitar conversas. _ Eu amo a sua prima. – falei. Pude vê-la suspirar, mas nenhuma palavra foi dita. _ Não destrua meu casamento, por favor.
_ Não sou eu que vou destruir seu casamento, Joseph.
_ Não conte nada a ela. Por favor.
_ Por que não? – perguntou, olhando-me. Olhando de canto de olho, para não parar de olhar a estrada, pude ver que ela estava disposta a escutar minha parte da história, isso já era um bom começo. Não é?
_ Eu sei que o que eu fiz foi errado. – comecei. _ Eu lhe enganei... Eu juro que eu nunca tinha feito algo assim antes, eu não tive a intensão de lhe magoar, foi um acidente. – eu disse, meu coração novamente se apertou, pois novamente eu estava errando na maneira de como falar com ela. Sim, foi um acidente, mas o melhor acidente que poderia ter acontecido em minha vida, eu ainda amava Demetria, mas eu já tinha aceitado que não poderia existir nós dois.
_ Você realmente quer continuar com isso? – perguntou.
_ Com isso?
_ Mentindo. – eu não falei nada, passei bem enfrente ao buffet, agora estávamos oficialmente fora da capital e dentro de Lewis, pude ver um arco de luzes sendo instalado do lado de fora, da mesma maneira que Rachel havia me descrito, as flores já estavam sendo postas do lado de fora e um grande tapete vermelho, que passaria por baixo do arco de luzes, já estava sendo armado. Sem duvidas seria uma grande festa, Rachel havia pensado em todos os detalhes com atenção, fazendo de tudo para que fosse uma festa inesquecível. Isso se Demetria deixar que haja uma.
_ Eu realmente a amo.
_ Ama mais não pode ser verdadeiro.
_ Ela jamais me perdoaria por tê-la traído. – justifiquei-me.
_ E deveria? – perguntou.
_ Me desculpa, ok? Eu não tinha a intensão de falar daquela maneira com você.
_ Mas falou! – gritou, pela primeira vez mostrando o quão nervosa ela realmente estava desde que chegou.
_ Eu sei, e você não faz ideia de como me arrependo por isso. Eu não sou assim. – eu queria olha-la, mas não podia tirar os olhos da direção, mas eu queria que ela pudesse me ver e perceber o quão sincero eu estava sendo com ela.
_ Que seja. – deu de ombros.
_ Não conte a ela.
_ Me convença.
_ O que eu devo fazer para convencê-la? – perguntei.
_ Você já sabe como funciona, você conseguiu me convencer antes, faça novamente, mostre que ainda há esperanças para você. – falou. _ Prova-me que você realmente a ama e que não irá machuca-la.
_ Eu a amo.
_ Foi dessa mesma boca que eu escutei que eu jamais seria deixada e que eu era amada. E olha no que deu?
_ Demi...
_ Não me dê palavras. As suas não me valem mais nada. – falou. Eu não consegui dizer nada. O que eu poderia fazer? Ela realmente tinha razão, porque ela deveria acreditar em mim, agora mesmo eu já estava mentindo, não que eu não amasse Rachel, mas eu não havia esquecido meus sentimentos a Demetria...

Chegamos à rua onde moramos, parei o caro bem a frente da casa de Rachel. Já havia vários carros parados a sua porta, provavelmente de parentes e das amigas que vieram se aprontar em sua casa.
Demi tirou o sinto e abriu a porta.
_ Eu te ajudo. – falei, enquanto ela abria a porta para pegar Gabriela.
_ Eu posso fazer sozinha. – falou sem humor. Obediente, apenas recostei-me no capô do carro, observando-a acordar a garotinha.

Quando ela estava prestes a entrar na casa de Rachel ela olhou para trás, a minha direção.
_ Você ainda tem mais seis horas para me convencer.

(...)

O bom de ser homem é que não se necessita muito para ficar pronto, enquanto as mulheres ficavam feito loucas arrumando cabelo, fazendo unha, maquiagens... Eu apenas tinha feito meu cabelo e barba e só faltava eu por meu terno, pronto, depois disso só faltaria subir ao altar...
Sozinho no meu quarto, eu tinha a vista para a rua, eu podia ver a movimentação de carros, movimentação que só ocorre quando tem alguma comemoração, provavelmente Rachel tinha convidado todo mundo que viu na rua, desde que eu pus o anel em seu dedo eu pude ver que o nosso casamento, não seria um casamento, ela não estava muito preocupado com nossa união em si, afinal de contas, de certa maneira, já tinhas nos unido há anos atrás, mas sim porque seria o seu momento de princesa, tudo bem que o mundo não estaria olhando por nós, nosso casamento não passaria na TV ao vivo, não haveria nenhum jornal falando sobre ele, mas para Rachel, justo ela que mal saia de Lewis, talvez só tenha realmente saído quando foi comprar o vestido do casamento, - já que de acordo com ela, os vestidos de Lewis não estavam a sua altura. – mas fora isso, Lewis não é apenas sua cidade, mas seu mundo, saber que todos iriam aparecer e apreciariam seu momento era o mesmo que lotar um estádio de futebol para um show...

_ Você poderia me dizer o porquê da pressa? – perguntou Nicholas entrando em meu quarto, ele já estava praticamente pronto, bem mais adiantado que eu, para ser sincero, só faltava abotoar a gravata borboleta, cabelo e barba feita, terno passado e engomado, se eu fosse do tipo de pessoa que acha homem bonito, eu até diria que Nicholas estava ‘pegavel’.
_ Preciso da sua ajuda. – falei, assim que cheguei em casa e pensei um pouco na merda que estava prestes a acontecer, liguei para Nicholas e o aprecei para me encontrar, coisa que sei que não estava no seus planos, chegar cinco horas antes da hora. Se fosse por ele, ele se atrasaria mais que a noiva. Não que Rachel lhe tivesse dado essa opção.
_ Que? Não sabe por sua gravata? A aliança sumiu? Seu terno sujou? – perguntava, como se estivesse indignado com meu apelo, talvez a impressão de tive, – de que o tinha acordado, ao ligar para ele. – estivesse certa.
_ Demetria. – falei e ele se endireitou instantaneamente, vendo que meu pedido de ajuda não era frescura. _ Ela está aqui.
_ Que?
_ Ela é prima da Rachel. – falei, Nicholas olhou-me com o queixo caído, sem dizer nenhuma palavra, nem mesmo reagia, como se minhas palavras o tivesse petrificado. Não o culpo, tive uma reação bem similar ao ver Demetria mais cedo. _ fala alguma coisa. – pedi, aflito, ao perceber que ele realmente não reagia.
_ Cara, não brinca comigo.
_ Eu queria estar brincando. – suspirei derrotado. _ mas não. Não é brincadeira.
_ Mas que merda é essa? – perguntou, começando a andar de um lado para o outro, com a mão na testa e a outra na cintura. _ Isso... Isso. Você é burro? Como que você não percebe uma coisa dessas?
_ Eu não a conhecia. – não depois de crescida, pelo menos, ela havia mudado bastante, se ela for a menina na qual e lembro.
_ Você se casa com uma mulher e nem mesmo conhece a família dela? – perguntou, parando de andar de um lado para o outro – para o meu alivio. – mas assim que terminou o mini sermão, continuou a dar voltas.
_ A Demetria e a mãe dela são meio brigadas com o resto da família, nem mesmo era para elas virem, não Demetria, parece que ela decidiu isso de repente. – falei. _ Se é que você entende.
_ Então ela veio atrás de vingança. – concluiu.
_ Ela me disse que eu tenho até a hora do casamento para provar a ela que eu realmente amo a Rachel. – falei. Nicholas novamente parou de andar e veio em minha direção, cheguei a ficar assustado com seu olhar. Parecia até mesmo psicótico. Será que ele tinha bebido?
_ Já sei, chega lá, faz uma declaração de amor, leva rosas. – disse.
_ Demetria falou que não adianta palavras, ela não crê mais nas minhas. – lamentei-me
_ Dê só as flores, mulheres adoram flores. Dê a flor preferida de Rachel. – olhei para Nicholas. Ele estava de brincadeira, né?
_ Isso não vai adiantar.
_ Não se forem flores quaisquer, mas se forem as preferidas dela...
_ Eu não sei quais são as flores preferidas dela. – falei.
_ Chocolate, toda mulher ama chocolate.
_ Ela está fazendo dieta, se eu chego com chocolate ela que me dará o fora.
_ O que não seria uma má ideia, tudo sai bem no final. – falou.
_ Nicholas!
_ Tudo bem. Já sei, dá um CD Gospel.
_ CD gospel? – aquela sem duvidas foi a ideia mais ridícula de todas e ele pode perceber isso pela minha expressão.
_ Ué, ela não é da igreja?
_ Nicholas, para.
_ A imagem do santo que ela é devota.
_ Nós somos protestantes, Nicholas. – falei já começando a ficar irritado com as sugestões ilógicas de Nicholas.
_ Uma tatuagem com o nome dela e escrito ‘para sempre’ com um coração, alguma coisa bem brega e romântica, mulher adoras essas coisa.
_ Nicholas...
_ Faz de rena. – falou como se tivesse acabado de ter a ideia do ano. – é rápido, sem dor e sai, sem arrependimentos, no máximo ela fica um pouco decepcionada com você no final, mas aí não tem mais salvação, os votos já terão sido trocados.
_ Eu já saí de Vegas, não é mais hora de fazer loucuras.
_ É, mas aparentemente o que se faz em Vegas, não fica em Vegas, quando se trata de você. – falou. Nessa parte ele estava certo.
_ Olha, vá à casa de Rachel e pede para a Demetria vir aqui, fala que minha mãe quer conhecer ela, inventa um desculpa, só a traga.
_ Joe!
_ Por favor, Nicholas, essa é a única maneira.
_ Você vai prender ela aqui? – perguntou. Até que não era uma má ideia.
_ Eu vou conversar com ela... Mas se for necessário... – deixei em aberto. Situações extremas pedem medidas estremas, Os fins justificam os meios, resumo, desculpas para isso eu tinha.


Não parei para contar o tempo que demorou, da saída de Nicholas à chegada de Demetria, mas posso garantir que não foi nada rápido. Provavelmente Nicholas teve problemas em inventar com uma desculpa ou talvez tenha sido difícil conseguir fazer com que Demetria viesse a meu encontro. Eu não sou a pessoa que ela mais quer ver no mundo e isso já ficou bem claro para mim, por mais que isso ainda me doa.



_ Eu não vejo razão para que você tenha me trago aqui. – disse com os braços cruzados. _ Você não vai me convencer.
_ Demetria, eu só quero conversar, me dê um tempo, uma oportunidade. – eu esbravejava, eu estava desesperado por uma oportunidade, uma chance de talvez amolecer o coração de Demetria, mesmo sabendo o quão difícil isso seria desta vez.
Demetria revirou os olhos e ainda com os braços cruzado, calou-se, mostrando a sua intenção de me escutar.
Só nesse momento relaxei um pouco e pude olhar as coisas com mais atenção. Bom, enquanto eu estava totalmente despreparado, Demetria já estava deslumbrante. Com um vestido vermelho e longo, um decote em V, não muito grande, mas que já era o suficiente para virar a cabeça de qualquer homem (incluindo a minha), estava levemente maquiada, ela realmente não precisava de muito para ficar fantástica, sua unha estava feita, com uma delicada francesinha, ela ainda calçava chinelo, mas eu sabia que logo colocaria um salto. Seu penteado era um meio preso, meio solto, apenas a parte da frente estava presa e a parte de trás estava solta e cacheado, simples, mas bonito... Alias o que não é bonito nela?
_ Eu sei o que eu fiz com você foi errado. – fiz um silêncio, Demetria não disse nada. _ Eu nunca tinha feito nada assim antes... O que eu senti por você foi totalmente real – ainda é (eu quis dizer, mas claramente não podia). _ Eu me arrependo muito do que fiz, eu nunca tive a intensão de machucar ninguém, principalmente você. – Demetria me olhava, sem nenhuma reação, eu não sabia o que ela estava sentindo em relação as minhas palavras. _ Eu só te peço que você me deixe fazer sua prima feliz. – falei. _ Não diga nada a ela, por favor. – quase implorei.
_ Quando eu cheguei aqui à primeira coisa que a Rachel me perguntou foi se eu gostei de você, não foi se eu estava bem ou como tinha sido minha viagem, mas sim o que eu achava de você. – Demetria parecia se segurar para não chorar. _ Eu vi um brilho no olhar dela, um brilho que só quem ama tem. – hesitou em continuar. _ Você tinha isso no olhar quando me olhava também...
_ Eu não menti para você quando disse que te amo...
_ E onde está esse amor agora? – eu não respondi. _ Eu te coloquei no topo, eu sabia que você não era perfeito, ninguém é, mas eu te colocava no topo, você era o mais perto do perfeito que eu conheci. – engoli o seco. _ Eu caí no seu feitiço. Eu me joguei em um amor que eu não deveria ter me jogado. Eu pensei que eu já tinha amado alguém, muito, mas não, não é do mesmo jeito que eu amo minha filha ou meus pais, mas é tão forte é algo que eu nunca senti... Quando eu descobri a verdade, tudo aquilo que eu achava, começou a cair, o perfeito já não era mais perfeito, você me destruiu. – Ela parou por alguns instantes. _ Eu ainda te amo. – falou. Senti meu coração dar um tranco ao escutar aquelas palavras, ela ainda me ama, assim como eu ainda a amo. _ Eu não queria que estas coisas estivessem acontecendo, eu não quero criar uma guerra, não quero brigar mais, eu não quero destruir as ilusões da minha prima, eu a amo, e você não a merece. – falou, ela tinha razão, Rachel podia ser tudo, mas ela sempre foi sincera comigo e nunca havia me enganado, ela não merecia um cara como eu, eu não a merecia mais, eu não era mais o cara perfeito para estar a seu lado, não mais. _ Eu quebrei minhas paredes por você, eu fui uma bola de demolição.
CONTINUA

Capítulo pronto e postado, e aí galera, haverá casamento ou não?
Nessa semana minhas aulas começam, isso quer dizer, se eu já estava demorando para postar, agora sim vai ficar pior L ... Mas não irei abandonar vocês, tentarei postar pelo menos uma vez por semana, provavelmente no sábado ou no domingo.
Queria muito agradecer aos seguidores do blog, 65? 6 deles só nesse começo de ano! É um crescimento bem grande para mim.
Ah, sim, não podia esquecer-me disso, quem está ansiosa? A bebê Jonas pode nascer a qualquer momento!!!!
Não se esqueçam de comentar/avaliar.
Bjsss

Kika: Pois é, desta vez eu surpreendi a todos :P escutei sim e adorei... O próximo capítulo que vai ter inspirado nele vai ser a música Sem ti. Bjssss
Silva: Não precisa pedir desculpas, eu te entendo completamente, também estou atrasada nas fics que leio. Não vou dizer que sou fã número um, mas confesso que gosto da Vanessa, sou da época de HSM, então acha que admira-la é meio inevitável :p até tenho algumas músicas dela no meu pc, mas confesso que gosto mais da atuação dela... Sobre o cabelo da Demi, eu também não sou fã de rosa, mas eu adorei a cor no cabelo dela *--* Muito obrigada por comentar. Bjsss
Carine Santana: Bom, você pode estar certa... Ou não hahaha, vamos ver, no próximo capítulo você verá :p. Muito obrigada por comentar. Bjsss
Samara: Wow, casa comigo? Hahahaha brincadeira... Sério, muito obrigada pelo comentário, você não sabe como é bom ler algo assim, é tipo, mágico, sério, muito obrigada mesmo. Bjssss
Shirley Barros: hahaha Surpreendi a você desta vem, em? :p Pois é, a Demi pode demolir ou ser demolida, vamos ver o que vai acontecer... Qual é a sua aposta? Obrigada por comentar. Bjsss
Karol Rodrigues: hahaha, sem problemas, quais são suas apostas para o próximo capítulo? Muito obrigada por comentar. Bjsss 

10 comentários:

  1. Perfeito porém triste :'(
    Ser surpreendido é bom de vez em quando...
    Toda as pessoas ficam viciadas nessa música dele é muito boa...
    Sem Ti também é linda.
    Uhuh tu já tens o teu Staying Strong?
    Eu recebi o meu ontem e não conseguia parar de sorrir! Já tava a desesperar...
    Posta logoo!
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi ! Espero que poste logo.. Acho que já tenho em mente o que vai acontecer, mas estou ansiosa, muito ansiosa! Sua fic está perfeita, não sei se você se lembra de mim "Jemi - Don't live a lie"
    Beijos e poste logo !

    ResponderExcluir
  3. Capitulo perfeito.. Quantos capitulos tem a Fic?.. Posta Assim que der mais posta..

    ResponderExcluir
  4. Eu queria pedir algo, faz um capitulo com uma dessas musicas da Beyonce: Smash into you ou You Had me at hello.
    ta pefeito eu estou AMANDO *-*

    ResponderExcluir
  5. To morrendo de chorar aqui (liga nao eu sou meio assim sentimental mesmo choro por qualquer coisa cncmc) pq ce fais içu ? :''( voce me destruiu. Ixi cjcncjcng brincadeira nanda kkk , apesar de tudo vc me surpreendeu mais ainda nesse capitulo.Voce é demais garota, como consegue ser assim? A minha aposta é que a Demi vai ser demolida :/ e nao demolir mais sei la , eu penso que o Joe vai dizer " nao " no altar , mas tbm acho que isso nao pode acontecer pq a fic agora que ta nas açoes e ainda tem muita aguas para correr entao definitivamente nao sei , talves eles se casam mas dai joe percebe que o que sente pela outra la nao eh a mesma coisa aaaaaaaaaah nao sei a mente e surpreendedora aqui é voce , entao faça isso e acabe com nossos coraçoeszinhos bcmcb Bl , boa sorte nas aulas e por favor tente postar o mais rapido que conseguir se nao morro

    ResponderExcluir
  6. Olá estou de volta por aqui. Amando amando. Essa história ta muito perfeita, já me actualizei das outras também. Estou amando

    ResponderExcluir
  7. Kkkkkkk,oh linda q bom q vc gosta dos comentários.Fico muito feliz,principalmente pq tudo q falo é BEM sincero.Vc realmente é incrível,sua fic é mais q matavilhosa.NUNCA deixe de escrever ,pois suas histórias fariam MUITA falta.Que peninha q a demora vai aumentar,mas ta valendo.Só irei ficar um pouquinho(MUITO)curiosa.E caraca vc sempre me surpreende,para mim q a Demi iria gritar muito com o joe,mas ela o ama como fazer isso né?Estou anciosa para saber o q vai acontecer,eu acho o joe vai acabar contando para Rachel,ele é muito certo e o q fez foi somente uma falha....vamos esperar para vêr.
    Obrigada por aceitar meu convite no face linda.E falar mais o q de vc?Como sempre DIVA.

    ResponderExcluir
  8. Caramba!!!Sem comentários,simplesmente perfeito....DIVA!!!

    ResponderExcluir
  9. Olá! Será que podia divulgar, estreará a amanhã e gostaria também convida-la para ler. Não se vai arrepender.
    http://costa-webnovel.blogspot.com
    Obrigada

    ResponderExcluir