domingo, 12 de janeiro de 2014

8º Capítulo “Curtição” – Entre o Céu e o Inferno





Música Curtição de Anselmo Ralph, sugestão da leitora Fátima

Demetria havia me apresentado a um paraíso do qual eu nunca tinha encontrado. Eu tinha tido a noite perfeita, a despedida perfeita.
Ah sim, eu quase havia me esquecido, isso era uma despedida.

_ Geralmente é o homem que faz isso. – falei. Eu ainda estava envolto pelas cobertas, agora totalmente amaçadas. Demetria já estava totalmente vestida, apenas calçava seus sapatos. Ela parou e olhou-me sorrindo.
_ Acredito que você não vai querer largar seu próprio quarto de hotel só para se livrar de uma garota, então acho que a função de fugir hoje será minha. – respondeu divertida.
_ Eu não ligo se você quiser passar a noite inteira aqui.
_ Eu já passei a noite inteira aqui, já são quase duas da manhã, eu não sei se você se lembra, mas eu tenho uma filha me esperando em casa. – disse.
_ Isso significa de que há poucas horas eu estarei voltando para meu estado. – falei sem muita animação. _ Sua filha vai sempre estar aqui com você, eu não, eu deveria ter preferencia. – sorri. Demetria jogou uma almofada em mim. Rimos.
_ ótima linha de pensamento. – ironizou. _ Ainda sim, tchau. – disse. Levantei-me e agarrei-a.
_ Pensa que vai ser fácil assim se livrar de mim? – perguntei, nos beijamos. O beijo ficava mais quente e mais quente, eu já estava nu e não seria nada trabalhoso despir Demetria novamente.
_ Tome um banho de água fria. – disse, separando nossos lábios.
_ Eu duvido que você realmente queira isso. – pisquei.
_ Eu querendo, ou não, é isso que vamos ter. – deu-me um selinho. _ Quando você irá sair do hotel? – perguntou.
_ Ás 8 da manhã. – respondi.
_ Talvez eu venha me despedir. – disse.
_ Eu ainda acho que você pode ficar. – falei.
_ Eu prefiro voltar. – outro selinho e soltou-se de mim. _ Até mais tarde Joe. – falou, pela primeira vez chamando-me pelo meu apelido.
_ Até mais tarde Demi. – despedi-me, chamando-a pela primeira vez pelo seu apelido.


(...)

Assim que Demetria foi embora, tomei um banho relaxante, por um momento eu tinha me esquecido novamente sobre a confusão que eu tinha arrumado.
Eu não tinha mais como fugir, eu me casaria com Rachel, mas como eu faria para arranjar desculpas para poder voltar a Las Vegas? Não seria justo nem a Rachel nem a Demi viver uma vida dupla. Mas eu não tenho coragem de dizer adeus a nenhuma das duas.



_ Como foi sua noite? – perguntou Nick, assim que chegamos ao café da manhã. Minhas malas já estavam prontas e assim que tomássemos nosso desjejum partiríamos para o aeroporto. 
_ Boa. – “até demais” pensei, mas claramente não me atrevi a dizer. Hoje eu não estava com muita fome, por mais relaxado que tenha sido o banho e por mais que eu tenha dado um cochilo antes de descer, tranquilo era a última coisa em que eu estava, e alguma coisa me dizia que se eu tentasse engolir algo mais que a xicara de café que estava na minha mão agora, eu provavelmente iria vomitar.
Exagero? Bom... Talvez seja exagero... Pra você, claro. Eu não fui criado para lidar com situações como essa. Até um tempo atrás eu poderia narrar toda a minha vida, mesmo a parte futura dela, simplesmente olhando para meu pai, que fez o mesmo seguindo os passos do meu avô, que provavelmente seguiu os mesmos passos de meu tataravô e assim por diante.
_ E como foi com a garota? – perguntou. Nicholas parecia despreocupado, botava praticamente tudo o que via na frente em seu prato. Fui para a mesa, ignorando sua pergunta, e só Edgar já estava lá, comente ovo mexido e bacon, com um suco de laranja. Nicholas sentou-se do meu lado e insistiu na pergunta.
_ Bem. – respondi, olhei para a xicara e naquele momento nem ela parecia muito segura a meu estomago mais. Kevin chegou do nada e assim como Nicholas tinha pegado uma variedade grande de alimentos, só que em quantidade bem maior. Todos olhamos para seu prato, que mais parecia uma montanha de alimentos.
_ Que foi? Nosso último dia aqui, eu tenho que aproveitar a refeição. – deu de ombros ‘enfiando a cara’ na comida com vontade.
_ Sabe galera, o Joe estava me contando aqui como a garota reagiu bem à notícia que era a outra. – falou Nicholas, algo em seu tom de voz tinha mudado, como se ele estivesse começado a ficar um pouco irritado. _ Eu não estendo essas mulheres de hoje, não se dão a respeito mais. – completou. Eu queria dar um soco na cara de Nicholas por falar assim, ele não conhecia a Demi, não sabia o seu valor, não sabia nada sobre ela, ela não é uma vagabunda.
_ Mas temos que pensar que quem enganou ela foi o Joe, não foi ela que correu atrás. – disse Edgar, só para piorar meu estado de espirito.
_ Eu sei, mas eu acho estranha essa tranquilidade dela, nem um tapa básico deu ou choro, um escândalo, você sabe, coisas que mulher traída faz.
_ Talvez ela estivesse doida pra se livrar de Joe, ele deve beijar mal pra caramba, ela ficou foi aliviada de saber que nunca mais teria que encontrar esse baforudo. – disse Kevin, como sempre muito brincalhão.
_ Antes de tudo, eu não tenho bafo e depois ela ficou um pouco triste. – tentei defender-me.
_ Ah! É mesmo? – perguntou Nicholas com um tom agudíssimo de ironia na voz.
_ Até chorou. – tentei me mostrar mais convincente.
_ Claro. Quem não choraria? – Ele ainda usava um tom de ironia na voz.
_ Aconteceu alguma coisa? – perguntei dirigindo-me diretamente a ele. _ Porque você está agindo desta maneira?
_ Eu estou agindo normalmente Joe, só estou aliviado de saber que agora tudo foi esclarecido. – agora ele parecia normal. _ Você vai voltar para sua cidade, para a sua mulher e amanhã nós estaremos em seu casamento, comemorando sua realização matrimonial.
_ Que seja.  – falei sem saber o que realmente estava acontecendo. Mas seja lá o que fosse, eu não estava gostando.

(...)

Café terminado, eu voltei para meu quarto e apenas peguei minhas coisas e desci para o saguão. Fui o primeiro a chegar, ainda nervoso deixei minha mala perto do balcão de recepção e fui em direção da saída do hotel, no meio do caminho encontrei Nicholas indo em direção ao quarto.
_ Pensei que você estivesse se aprontando para ir. – comentei.
_ Sai rápido para comprar alguma lembrancinha para os parentes. – deu de ombros. _ Toma aqui. – disse dando-me uma caixinha pequena. _ Fique tranquilo, não tem nada que evidencie que é de Vegas, dê a Rachel. E isso aqui. – disse pegando uma sacola. _ Espero que sua mãe goste. – falou.
_ Obrigada cara.
_ É o mínimo que eu podia fazer.
_ Você já fez bastante, só por me trazer aqui. – falei, sem entendê-lo.
_ Espero que você continue com esse pensamento depois. – disse, deixando-me sozinho, sem oportunidade de dar uma resposta, se é que saberia o que dizer.


Continuei indo para fora e logo pude ver Demi, ela estava escorada em uma das pilastras na entrada do hotel. Sua expressão não era feliz, talvez ela estivesse sentindo o mesmo que eu... Ou não.
_ Demi, como você prometeu, aqui está você. – falei aproximando-me dela. Ela continuou da mesma maneira, não reagiu. _ Aconteceu alguma coisa? – perguntei, ao vê-la daquela maneira, ela estava de cara fechada, séria, parecia querer me ignorar. _ Demi?
_ Porque você veio a Las Vegas? – perguntou, seu tom era sério.
_ Você já sabe. – falei. Demi continuou em silêncio. _ Para a despedida de solteiro. – continuei. _ Do meu amigo. – completei de sobre salto.
_ Seu amigo? – pela primeira vez olhou-me e me arrependi disso, ela estava amarga, eu podia sentir um fogo, mas não de paixão ou excitação, mas de puro ódio. _ Ou seria a sua despedida de solteiro? – cruzou os braços no peito.
_ Demi, olha...
_ Não me chame de Demi. – interrompeu-me. _ Por quê? – perguntou. _ Isso é um tipo de jogo? Meta?
_ Não, Demi, digo, Demetria.
_ Eu me abri com você. – ela estava quase gritando. _ Eu confiei em você, eu contei sobre o tinha me acontecido, porque você quis continuar ainda? Porque você não foi pra outra com um histórico menos...
_ Me deixe explicar...
_ Você um merda. – gritou, apesar de cedo, já havia um fraco movimento pela rua e todos pararam instantaneamente para ver quem gritara.
_ Vamos conversar.
_ E assim que você vai começar um casamento? – ela não parecia me escutar, ela estava decidida a gritar para o mundo o quão idiota ela achava que eu era, e talvez eu realmente fosse. _ Mentindo? E o que você iria fazer depois em? Até onde você pretendia levar essa história? – continuava a gritar.
_ Se acalme. – pedi, alterando-me um pouco, todos paravam para olhar.
_ Você engana a todos assim é? Quantas outras você conheceu por aqui? Qual número eu sou? – perguntou.
_ Demetria, por favor...
_ Como será quando sua noiva descobrir? Utah certo? Ia ser bem legal se eu chegasse lá, não? – perguntou. Ela estava me... Ameaçando?
_ Você não se atreveria. – falei.
_ Ah não? O que me impede agora? – enfrentou-me. Ela olhava-me com pura raiva, nunca tinha visto uma mulher daquela maneira. Sabe o olhar de Marissa, que havia me irritado tanto ontem? Pois eu sentia falta dele agora.
Continuei a fita-la e só então percebi que ela não estava falando mentiras, ela realmente queria ir para Utah com o intuito de atrapalhar meu casamento.
_ Você nem sabe onde eu vivo.
_ E se eu tiver descoberto?
_ Você não...
_ Lewis. – disse. Senti meu coração dar um tranco _ Amanhã, às sete da noite. Igreja Batista de Lewis. – falou, ela agora parecia ter ficado triste, mas eu ainda podia ver a raiva em sua voz.
_ Você queria o que em? – perguntei. Eu tinha consciência que já tinha estragado tudo e que agora, mais que nunca, eu só tinha uma alternativa, fazer com que Demi nunca mais quisesse chegar perto de mim, nem mesmo com o intuito de me destruir, causar-lhe-á nojo, mais do que já esta sentindo, de mim. Por mais que me doesse, eu tinha que acabar com aquilo agora, se eu quisesse salvar meu casamento, aquele era o momento. _ Você acha que eu iria querer largar tudo por uma stripper endividada, com uma mãe doente e com uma criança a tira colo? – perguntei tentando parecer enojado com a situação, as minhas palavras pareceram logo fazer efeito em Demi.
_ Você...
_ Você acha que em algum dia alguém vai querer algo serio com você? – continuei com a minha estratégia de magoa-la, mesmo que isso doesse também em mim. Cada palavra que saia da minha boca era um soco que eu levava bem na boca do estomago. Demetria calou-se, sem respostas, sem reação. _ Acorda garota. Volta para o seu drogado, é só ele que um dia vai querer algo com você, outro nunca terá nada com você, nada serio pelo menos.
_ Pois seja lá o que aconteceu, acabou é passado. – disse, tentando se reerguer. _ Ela não merece isso.
_ Não venha se fazer de vitima. Nem tente falar que eu te magoei. Você nem mesmo sentia algo por mim de verdade, não é você que sempre foi arredia? Que não acreditava em ninguém, agora você vem e age como se cresse em mim? Me poupe. Ninguém obrigou a ninguém.
_ Você não é mais criança para saber que o que você fez é errado, você não está enganando só a mim, também está enganando a sua mulher, não venha colocar a culpa em mim. – gritou de volta. Aproximei-me mais de Demetria e entre dentes falei:
_ Vai para o seu homem, que eu iriei para a minha mulher, fica com o seu homem, que eu iriei ficar com a minha mulher, ame ele, porque eu vou amar a minha mulher, da maneira que ela merece. – acrescentei. _ Trate-o bem, ou não, se quiser, que eu iriei tratar a minha mulher como a rainha que ela é. Porque ela não se esfrega pra ninguém, nem se exibe.
_ Você criado em um lugar tão religioso. – começou a dizer, por um momento estranhei ela saber sobre a cultura religiosa de Lewis, mas eu estava tão estressado com as minhas palavras a Demi e tão magoado por saber que ao contrário de mim, Demetria queria dizer tudo o que ela estava dizendo que acabei ignorando naquele momento. _ E faz coisas como essa. Que Deus lhe perdoe.
_ Ele irá me perdoar, por eu nunca mais vou pensar em olhar para alguém como você. – falei. Novamente Demetria se calou, nenhuma reação dela, agora era o meu momento. Minha cartada final. _ Foi apenas uma Curtição.
CONTINUA

Final nada feliz esse em? Bom, ainda sim espero que vocês tenham gostado.
Não esqueçam de comentar/avaliar.
Bjssss

Kika: kkkkk Ainda bem que você me perdoou né? \O/ Não se se você vai gostar tanto desse, mas espero que goste pelo menos um pouco. Obrigada por comentar. Bjssss
Natalia_lovato: Aparente meu computador resolveu me deixar na mão bem nas minhas férias, injusto, mas pelo menos agora está tudo bem ;) eu nem estou comentando no seu blog ( alias nem no seu nem no de ninguém L) mas assim que eu estiver com os capítulos todos em dia eu voltou ok? Obrigada por comentar. Bjsss
Samara: Meu Deus, eu juro, você me deu um susto e tanto, por um momento eu realmente pensei que você não tinha gostado o_o Provavelmente eu continuarei a demorar, mas não vou ficar mais tanto tempo igual antes. Obrigada por comentar. Bjsss
Karol Rodrigues: Fico feliz que tenha gostado, bom tudo pode acontecer agora, isso só vamos ver nos próximo capítulos ;) . Obrigada por comentar. Bjsss

Silvia: Tudo bem, eu também não estava comentando mais na sua fic, peço desculpas, foi a correria do fim de ano e o problema no meu computador, eu vou voltar a ficar realmente ativa no blog, de nada você sempre estará na minha lista de quem repassar os selos J Obrigada por comentar. Bjsss

7 comentários:

  1. Eu gostei mas tá triste
    Mais uma vez não precisas agradecer mas pronto de nada :-)
    Posta logo
    Beijos ah e obrigada mais uma vez pelo selinho
    P.s. Adoro essa música ele é super famoso aqui em Portugal
    Aconselho-te a ouvir a música do Anselmo Ralph chamada Não Me Toca

    ResponderExcluir
  2. aaah quando vai posta mais ?? *-*

    ResponderExcluir
  3. RSRSRS
    OH desculpa ñ foi a intençãoa assusta-la.Só queria deizer q AMEI.
    É o cap. De hj foi meio triste mas fazer o q né?é a hist. Fiquei com MUITA pena da Demi,mas é dificil pro joe né.
    Estou ficando cada vez mais apaixonada pelo seu modo de escrever.Realmente vc ARRAZA menina.Virei fã,mas acho q isso ja da pra perceber né?rsrs
    Demore mas ñ deixe de postar.
    Amei e por favor poste assim q der.

    ResponderExcluir
  4. Oi,eu aqui novamente,mas é pq eu esqueci de perguntar.vc tem face?

    ResponderExcluir
  5. Oi nanda :) vou logo pedindo desculpas por n ter comentando no cap 7 ele ficou demais ,amei.Porem esse :/ pq esse idiota falou isso? Cara que raiva raiva meu , imagino o coracao da demi todo destruido lembrei de quando eles estavam no balao e eles conversavam sobre a felicidade dela ter que ir embora. Mas entao , sei que foi o nick que contou pra ela, e acho que ele devia se importar so com a vida dele esse tapado. Tinha ficado sem net mas to d volta , posta o mais rapido que puder , porrrr favooooooor

    ResponderExcluir
  6. Hey Nanda, criei um novo blog, será que você poderia divulgá-lo?
    http://mymirrorstaringbackat-me.blogspot.com.br/
    Se puder, dê uma olhadinha, por favor (:
    Desde já, agradeço muito <3
    Beijos.

    ResponderExcluir